Deixa eu lhe contar uma coisa: os autores podem ter um papel na guerra da Rússia na Ucrânia. Mesmo o mais distante do conflito, os autores e escritores podem ter um papel decisivo e salvar milhares de vidas. Por isso, não é completamente delirante falar em missão dos autores em tempos de guerra na Ucrânia.

Por que um autor precisa de ter uma missão?

Pode parecer um pouco sem originalidade, mas você como escritor pode mudar o curso da história com suas palavras. Se Vladimir Putin e Zelenski contam, cada um com suas palavras a história segundo seus pontos de vista, você como autor pode imprimir uma transformação positiva nos seus leitores e educá-los no sentido do bem. Por isso, é importante colocar no teor do seu livro, uma transformação positiva que estimule o avanço da humanidade rumo à paz e à tranquilidade das pessoas e a partir disso, tendo em conta as transformações que você opera em seu leitor, estabelecer uma missão para seus livros. Um pouco como a missão de uma companhia. Todo autor que se quer consagrado, tem uma missão, mesmo que inconsciente.

man in black suit achieved an accomplishment
É importante colocar no teor do seu livro, uma transformação positiva que estimule o avanço da humanidade rumo à paz.

Acontece, autor, que as palavras têm um efeito incrível sobre as pessoas e devem ser usadas com cautela. Para os que já leram O Silmarillion, do Tolkien, sabem que este escritor já sabia da arte de criar coisas através das palavras. Para o criador d’O Senhor dos Anéis, na sua imaginação brilhante, a Terra Média surgiu da música. E o que é a música? Nada mais do que palavras em melodia. Um pouco como mantras. Como palavras mágicas. Vem no dia 8 de março, um artigo completo sobre o poder criador da música, mas enquanto você aguarda, falemos um pouco mais sobre como estabelecer uma missão.

Como estabelecer uma missão quando se é autor?

A maneira mais fácil, intuitiva e por conseguinte mais verdadeira e genuína é a seguinte: quando você estiver compondo um texto, escolha primeiro uma intenção para aquele ele. A pergunta a se colocar é a seguinte: Que transformação você deseja que o seu texto opere nos seus leitores uma vez que eles terminaram de ler o livro? Da mesma maneira como os políticos Putin e o resto do Ocidente desejam que seus interlocutores se transformem numa direção, você deseja para os seus leitores a transformação deles num sentido específico, de preferência algo que não seja a guerra da Ucrânia.

Há nada menos que dois dias, um poeta fez a seguinte observação no grupo d’O Jornal dos Autores:

Conversa no Grupo “O Jornal dos Autores”.

De sua pergunta, tiramos o seguinte:

Para estabelecer uma missão para os seus livros, você deve estar atento a dois fatores essenciais: 1) Que transformação você deseja operar nos leitores e 2) Que transformação se opera de fato neles após ler o seu texto.

A partir disso, eu aconselho que você faça. Um brainstorming do que as pessoas disseram nos comentários de cada texto seu que leram. Tente observar as palavras que se repetem, as que mais te tocaram e até mesmo as que te incomodam. Escolha entre essas palavras de maneira consciente. Assim apenas você poderá imprimir intenção aos seus textos e começar a dar um rumo à sua carreira de escritor.

Durante o meu processo de criação de uma missão, eu estava certa de que queria escrever para ajudar as pessoas no sue processo de crescimento espiritual e descoberta de si mesmos através das artes da meditação, do yoga e do conhecimento ancestral do oriente. Foi a educação e o legado que eu recebi dos meus pais e por isso que eu me baseio nesse plano de fundo para criar o mundo das mandalas, onde tudo o que se vê é um reflexo de si mesmo. Eu também queria trabalhar pela promoção da paz no planeta Terra. Por isso, eu decidi oferecer meus livros não apenas a ajudar as pessoas mas à paz em si como entidade viva que tenta se instalar na Terra. O slogan que eu criei a partir disso foi: “Livros pela paz, para a paz.”

A missão dos autores no contexto atual

grayscale photo of explosion on the beach
No fundo do coração, eu não creio que alguém vá acionar o botão, mas nunca se sabe…

Com esta guerra entre Rússia e Ucrânia, o mundo está enfrentando uma crise que ninguém mais acreditava possível. Pelo menos não depois da crise dos mísseis de Cuba e o delicado equilíbrio nuclear da guerra fria. Além disso, depois de uma pandemia como a do Covid, tudo o que menos precisamos é de uma ameaça de invasão de Kiev, na Ucrânia e a possível destruição da vida na Terra, que é o que acontecerá caso um desses dirigentes decida que chegou a ver de tirar a poeira dos mísseis nucleares do armário. O tempo que nos resta é precioso e cada segundo conta. Se um deles decidir errado, será o fim de todos. Eu ainda acredito na boa natureza humana (me chamem de insana, eu lhe digo que sou desde que vim para Paris, leia o artigo O que aconteceu comigo quando eu chegue em Paris para ser escritora). No fundo do coração, eu não creio que alguém vá acionar o botão, mas nunca se sabe. De todas as maneiras, eu quero exprimir a urgência e a importância de operar positivamente quando se é autor e optar por outros caminhos que não nos conduzam à guerra como o que está acontecendo na Ucrânia e na Rússica. Pense em todos os mais vendidos, os que mais tocaram o coração dos homens. Todos eles tinham uma premissa de transformação positiva.

Para aprender mais, aqui estão alguns artigos que falam sobre a transformação do leitor:

Torne-se um AUTOR

3 comentários em “A guerra na Ucrânia e a missão dos autores

Deixe uma resposta