Virar escritor é se transformar numa pessoa totalmente diferente. Para escrever um livro ou algo simplesmente é 10% inspiração e 90% transpiração. Acertou. Para vender um livro é preciso escrever um livro e se transformar.

Os tabus da vida de escritor

Se tem algo que eu entendi durante o meu percurso foi: para escrever de maneira profissional e conseguir viver disso é necessário uma mentalidade empreendedora, coisa que até então, eu só tinha ouvido falar.

Quando eu comecei, escrevia em dias muito bons 500 palavras, em dias mais ou menos, dois parágrafos e naqueles muito ruins eu nem abria o documento. Você entendeu que eu precisei achar uma outra estratégia bem loguinho. Para virar escritor, é preciso se transformar: transformar-se em escritor rápida, em plotista forte (construtor de intrigas) mas sobretudo, é preciso adaptar a mentalidade.

Os livros são um negócio como qualquer outro, ao contrário do que nos disseram a vida toda e eles são capazes de gerar renda para um autor. Foi vindo para a Europa que eu pude constatar a que ponto se enganaram todos aqueles que disseram que não é possível ser escritor profissional. E desengane-se: a mentira ainda tem força e pernas longas, mesmo se ela perde as suas perninhas, pouco a pouco. 

Métodos para escrever rapidamente

Uma da transformações mais gritantes da escrita em mim foi a capacidade de produzir mais. No livro do Stephen King, ele fala que escreve todos os dias as suas 2000 palavras através do método da escavação. A analogia é tão fina quanto justa. O fóssil da ideia é frágil e tímido. É necessário da parte do escritor não apenas habilidade técnica como uma certa inteligência emocional para lidar com tal. 

Foi preciso muito trabalho da minha parte para encontrar um método que funcionasse para mim com relação ao número de palavras. E eu estou hoje nas 2500 por dia, que eu escrevo com certeza e sem grandes esforços. Mas nem sempre foi assim. Como falei, precisei persistir muito para chegar nesse número. E ler muito (Faz um favor, autor: vai ler um livro! Nem me venha com essa de “eu não gosto de ler”! Encontre outra desculpa porque essa não cola!).

A questão é: eu ainda estou buscando aumentar o número até 3000 por dia, mesmo com a minha saúde complicada (dor no braço e complicações no punho). Quer saber mais, pode ler a minha história aqui. O trabalho da acupuntura e os remédios naturais que eu tomo todos os dias têm me ajudado, mas não é apenas isso. Eu percebo que a dor não aparece quando o que eu escrevo têm ressonância com a paz e com a elevação da consciência das pessoas. E esse, além do meu próprio corpo, é o meu maior guia. Mas isso é assunto para um outro post 😉 .

Virar escritor é se transformar

Hoje, posso dizer que a escrita me transformou numa pessoa completamente diferente da que eu era há 11 anos, quando a minha jornada de escritora começou. E há dois anos, quando tornei-me autora oficialmente, que eu comecei a publicar meus livros, eu não tinha ideia de onde essa jornada ia me levar. Só sabia de que eu queria me transformar. Hoje em dia sou empreendedora, autora e ajudo autores a se lançarem no caminho da escrita.

E você? Como se transformou? Diga nos comentários.

Quer fazer parte da transformação mais intensa? Quer contar a sua história?

Torne-se um AUTOR

Um comentário em “Vida de autor: virar escritor é se transformar

Deixe uma resposta