Para citar Brendan Kane em seu livro 1 milhão de seguidores, não existe resposta certa para essa pergunta. Você só vai entender o que funciona para você testando.

Para mim, a essência do ensinamento deste livro está no dito acima e aqui estão os que ficaram comigo e os que eu comecei a aplicar:

  1. É preciso testar para ver o que funciona.
  2. Quando algo não funciona, é preciso mudar de ideia rapidamente para chegar ao que funciona.

Com as redes sociais, foi a mesma coisa e eu te aconselho a seguir de perto estes dois conselhos. De TODOS os autores autopublicados que entrevistei, ouvi a mesma coisa: o seu maior trunfo será a sua capacidade de testar múltiplos canais até você entender o que funciona e o que não funciona.

Existem, contudo, alguns segredos em cada rede social que podem te ajudar a decidir por onde começar. Por isso, eu faço aqui um compilado não-exaustivo das redes sociais que eu conheço e que já testei. Atenção: as informações que estão contidas aqui não são verdade absoluta. Elas se baseiam na minha experiência como usuária e como autora.

  1. Facebook: talvez a grande mãe (já virando avó) de todas as redes sociais; foi aqui que tudo começou. E por esse motivo, o Facebook é uma plataforma que reúne um público ativo majoritariamente a partir dos 25 a 30 anos em diante. Isso porque o público mais jovem conheceu em sua maioria o boom das redes sociais. Assim, o Facebook é voltado para esse público mais experiente, tanto na sua concepção quanto na sua estrutura. Se você conhece a faixa etária do seu público-alvo, pode decidir em qual rede vai surfar. Em contrapartida, o material do Facebook é mais facilmente partilhável. Quero dizer que é muito mais fácil partilhar conteúdo por essa plataforma do que com o Instagram, por exemplo. Assim é muito mais fácil crescer a sua fanbase a partir do Facebook que a partir do IG. Esse é um ponto a se pensar.
  2. IG: a interface de usuário e estrutura dessa plataforma foram pensadas para o conteúdo visual. Apesar da IGTV, os conteúdos de vídeo não são a prioridade do IG. O público que surfa nessa rede é, por esse motivo, de idade variável (embora majoritariamente mais jovem do que o Facebook), mas unido pela força do visual. Assim, se for investir nessa plataforma, esteja certo de publicar algo partilhável e com qualidade do ponto de vista visual. 
  3. Youtube: Eu testei e vi de tudo acontecer. Vídeos não decolarem, vídeos virais (o meu irmão por exemplo tem um canal de motos e o seu primeiro vídeo teve mais de 100k na primeira semana). A minha experiência dessa plataforma é: para produzir um bom vídeo, leva-se tempo. Você não apenas precisa aprender a técnica certa, a luz certa, o script certo, o audio certo, mas precisa (e esse é para mim o mais difícil de encontrar) estar na energia certa. Como para todo o escritor, não é todo dia que eu estou na energia certa para falar na câmera (e nos dias em que eu estou, filmar é demais), eu acabei deixando de lado essa rede social.
  4. Blog: eu tive que começar e recomeçar três vezes blogs diferentes até encontrar a maneira certa. Quando eu enfim encontrei a maneira certa de escrever blogs (entenda-se aqui a maneira que funciona para mim), também encontrei a rede social que eu mais gosto e que eu vejo crescer a cada dia. Para os que estão interessados, podem me enviar um e-mail e eu conto em detalhe como o blog foi uma virada de ventos para a minha carreira. 
  5. WhatApp: Foi sem dúvida uma ferramenta essencial para interagir com o mundo que acontece e que quem não está nas redes sociais nem tem ideia da sua existência. O WhatApp serve para encontrar e tecer conexões, para chegar às pessoas em seu universo mais íntimo. A ser usado com prudência. Não tem coisa pior do que você receber um direct com promoção. Eu simplesmente não gosto.

E você? Qual rede escolheu e por que a escolheu? Você sente que em está ajudando a elevar a sua carreira ou é apenas perda de tempo? Apesar de eu não ter terminado de ler o livro do Brendan, a lição mais-valia que eu tirei dele foi essa capacidade de adaptar-se e mudar de estratégia como o vento muda de direção até encontrar a estratégia que funciona para você.

Quer receber mais dicas sobre escrita?

Quer receber o meu livro de presente?

Deixe uma resposta