Ficção ou não-ficção, dissertação ou simplesmente um relatório, o que quer que você esteja escrevendo, se tem desejo de ver seu material publicado uma coisa é fundamental: divirta-se ao escrever. Por quê? Simplesmente porque escrever trata-se de comunicar algo que você está vendo na sua cabeça. E apesar de fazermos essa comunicação através das palavras, uma coisa é fato: existe uma corrente invisível que se transmite além das palavras. Essa corrente vai levar o seu leitor a sentir o que quer que você estiver sentindo quando escreveu o seu texto.

Por isso, é importante estar alinhado com a essência e o teor do que está escrevendo e não esperar do seu leitor que ele se transforme ao ler o que você escreveu. É fundamental estar em harmonia e sobretudo, divertir-se ao escrever. Ouso dizer que em toda forma de arte este é um grande determinante no sucesso daquela forma de arte. Esse é um determinante chave porque ele vai levar as pessoas a experimentar o texto na mesma energia do autor. Se o texto foi composto na energia errada, seu leitor vai sentir e você pode dizer adeus à transformação positiva que você pretendeu para o seu leitor.

Existem algumas dicas que eu posso dar, que eu tanto aprendi quanto desenvolvi durante estes onze anos de experiência escrevendo livros. Tais dicas servirão tanto para aumentar a sua técnica quanto a sua abertura ao seu texto e possivelmente ao fato de que um texto exprime uma verdade do autor, qualquer que seja essa verdade, e por mais obscura ela seja.

1) Escreva sobre algo que você quer escrever.

escreva se divertindo

Não adianta escrever para crianças (porque o Harry Potter teve o sucesso que teve e você também o quer) se você não suporta crianças. Não adianta escrever horror se você não suporta ver sangue. Crie algo que faça sentido para você sempre tendo aquele guia: escrever para o progresso da humanidade. Se o seu negócio é escrever pornochanchada, crie a história mais inovadora de pornochanchada que já existiu, algo que faça rir e quebre tabus ao mesmo tempo. Esse gênero é ótimo para quebrar os tabus do sexo, por exemplo. Se você é curioso sobre fantasia, porque não levar as pessoas a sonhar com uma boa história de fadas e vampiros? Se você curte a ficção paranormal, use sua arte para evidenciar fenômenos que a ciência ainda deve provar. O que quer que seja, é fundamental, tanto para o bem do seu leitor quanto para o seu bem como autor, de escrever algo que faça sentido para você.

2) Traga suas emoções à flor da pele, para a superfície do seu ser quando estiver escrevendo

à flor da pele seus sentimentos

Essa dica saiu da boca de ninguém menos que Joye Tribiani e my oh my, que dica valiosa. Para conseguir colocar o máximo de sentimento no papel, existe uma técnica usada por muitos artistas que é a de trazer suas maiores feridas para a superfície do seu ser, para a sua consciência mais inflamada e mantê-la lá, pelo menos até formular a premissa do livro e, no ideal, até terminar a primeira redação. Se esse sentimento emergiu é porque é ele quem deve guiar senão o livro pelo menos o texto. E eu sugiro, para que sua história seja a mais impactante possível, que você aposte na força desse sentimento incluindo-o na sua premissa.

3) Sinta com seus personagens e permaneça atento ao que você está sentindo quando estiver escrevendo

chorando ao escrever
Sinta seus personagens!

Se chorar, chore e coloque na boca do teu personagem as palavras e emoções que te fazem chorar) A escrita é antes de tudo uma cura catártica (VEJA O ARTIGO AQUI: A ESCRITA CATARTICA); quanto mais emoções você exprimir durante o ato, maior será a cura.
O que você sente ao escrever um livro? Escreva nos comentários

2 comentários em “Divirta-se ao escrever

  1. Sobre trazer suas maiores feridas para fora através da escrita. Achei fantástico. Me peguei esses dias pensando justamente nisso, como as coisas que tenho escrito refletem muito sobre o que eu já vivi e o que aprendi com isso. Muito bom. Parabéns 👏👏

Deixe uma resposta